terça-feira, 24 de maio de 2016

Instinto oral

                                                             imagem do Google

Ah, esse frio, quase dor
na boca do estômago
quando penso na tua boca
que me engole sem pudor
como um garfo que lá dentro
se perde e toca
na tua língua quente
e sente o sabor
do alimento
Ah! Eu que falei nunca mais
mas a tua boca me atrai
me trai e corrompe
minha decisão
E eu danço
danço com ela
e na tua mão
Ah! Não queria voltar atrás
mas eu sempre caio na tua
na tua boca
que me provoca
e me deixa nua
pra no outro dia
estar de novo na rua
sem me arrepender
mais uma vez
na tua boca fui tua.


Marisete Zanon - Todos os direitos reservados a autora. No livro In Confissionarium III.

Um comentário: