segunda-feira, 11 de agosto de 2014

Luz e sombra

                                                                         Fotografia - Lucile Justus



como a funda que lança a pedra
meus pés atravessam farpas
 num deserto de amor vertiginoso
onde não conheço o chão
demônios esperam a minha decisão
no inverno precocemente instalado
eles sabem que luz demais cega
e vivo na sombra de um cacto
sou memórias
um quanto de experiências
vis e ilustres
mas ninguém sobrevive
na indecisão, na aflição,
no entremeio da dúvida...

Marisete Zanon    





6 comentários:

  1. Bom dia Marisete!

    Belas palavras!

    ResponderExcluir
  2. Respostas
    1. Muito obrigada Paulo Francisco.
      Outro pra você!

      Excluir
  3. Texto inspirador, porque expira-a-dor. Parabéns!!

    ResponderExcluir
  4. Lindo poema Marisete..
    Deixo a você meu carinho .
    Beijos,,Evanir.

    ResponderExcluir