quinta-feira, 17 de julho de 2014

Um inefável poema

                                                                              imagem do Google


Rompi todas as linhas tênues

vesti aquele meu vestido branco

ultrapassei os limites da lua cheia.

Quero provar do miolo da maçã

que rege a minha inefável sina

enquanto as múmias desfilam hipocrisia.

despido de quem me despia...

Me adornar com anéis de saturno,

rubis, esmeraldas e safiras.

Dançar em Marte e cavalgar

na Via Láctea.

E finalmente acordar no colo

Despido de quem me queria.


                                                             Marisete Zanon   - In Confissionarium Book

8 comentários:

  1. Sensual e lindo, adorei a aranha rs...

    bjokas =)

    ResponderExcluir
  2. Delicado e belo. Tênue como a Vida de quem sabe bem viver e amar...

    ResponderExcluir
  3. E como é bom provar o miolo da maçã...
    Magnífico poema, adorei as tuas palavras.
    Querida amiga Marisete, tem um bom fim de semana.
    Beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pela visita Nilson! Bom resto de semana! Beijo.

      Excluir
  4. Uhuuu...muito lindo, o seu poema, minha querida!!!
    Que bom que você abriu novamente para comentários... boa semana, beijos,
    Valéria

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é Valeria...A pedidos... Obrigada por vir. Beijocas.

      Excluir