terça-feira, 4 de março de 2014

Silêncio dos atos

           
                                                         


é nessa quietude dos teus atos
que atento para o barulho dos teus sentimentos
não que eu sinta alento no teu silêncio
mas entendo teus tratos
teu desejo, teu domínio e o fascínio que exerce sobre mim...
transforma o pesado argumento
em leveza de abstrato e beleza

Marisete Zanon