quinta-feira, 27 de março de 2014

A falta que há



Tinha ganas de encontrar. percorrer trilhas.
agarrar mundos entre indecisões e bofetões.
acordar. acordar viva.
desaguar em algum mar.
chorando prantos de algumas vidas.
resfolegando engasgada
de tantas mágoas malvadas.
enlatadas. comprimidas. amordaçadas.
corria e percorria nas vias e nas estradas.
procurava a parte que faltava.
     [se era dela não sabia] e nem desconfiava
só sabia que procurava. andava. controlava.
espreitava sem espanto o pranto
de outros tantos que não tinham nada.
difícil subtrair lembranças
a vida ali em andanças.
mudanças de planos e voos.
passarinho sem olho, dilacerada que ia.
e ia...subia... tateava e não encontrava a falta
que persistia e existia no nada.

Marisete Zanon - In Confissionarium Book - pág. 25