quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Sem fronteiras

                                                     Boy of bone twelves stories inspired by the Mutter Museum


as memórias não têm fronteiras

o cérebro não tem paredes

que impeça de irmos onde quisermos

 é um campo elétrico cheio de mistérios

a imaginação nos dá vida

impulsiona num sereno gesto

a concluir nossos desejos e pensamentos

a girar numa dança solta

fogos e holofotes na escuridão

fadas e duendes, quem sabe?

nessa celebração que é a vida

que seja doida e insana

ergo a minha taça e brindo

as minhas memórias e a minha nostalgia

amo brincar com meu campo cheio de eletricidade

amo brincar sozinha sim

a solidão é a minha fantasia

e ela me basta.



Marisete Zanon