sábado, 20 de julho de 2013

Despedida

                                                imagem do Google



Não me prenda em lugar algum, me deixe livre
preciso de espaço para ser.
Não brigue comigo pelos meus erros, me ensine
preciso aprender.
Não me diga não chore, você não sabe o que
acontece com uma lágrima aprisionada aqui dentro.
Não me mostre o que é ruim ou bom,
preciso experimentar por mim mesmo para escolher.
Não me diga que é feio ser triste,
cada um sente como pode.
Não me diga que o tempo é curto,
meu rosto me mostra com pequenos detalhes.
Não me diga que o amor é lindo e nos dá felicidade,
eu experimentei muitas vezes e sei que não é assim.
Não complique o que falo,
apenas ouça com simplicidade.
Não coloque placas em meu caminho,
ele não é igual ao seu, as pedras não estão no mesmo lugar.
Preciso ser livre, mais livre que um voo de pássaro,
porque o dia que eu me for, preciso ir sem medo,
preciso ir leve, consciente do que fiz.
Não sei se a gente leva as lembranças,
se levar quero apenas os sorrisos, os dias de sol,
e dias felizes de chuva também.
Espero que não esqueçam o modo
que escolhi para dizer adeus:
cinzas ao vento.
Livre.



Marisete Zanon