sábado, 15 de junho de 2013

Essa é uma sequência de obras do artista plástico Carlos Saramago com poemas que fiz para suas obras. É uma pequena homenagem que devo ao artista, mas que faço por prazer. Espero que gostem.

                                                Obra - Explosão de amor - Artista Carlos Saramago

minha boca precisa devorar
esses símbolos do amor
meu peito agoniza
na tentativa de tocá-los
e a subida é íngreme
esse vermelho que grita
são rosas de sangue
pelo pecado cometido
no âmago do coração
mas o amor não peca
o amor explode dentro de mim
e ao mesmo tempo me devora
preciso pôr pra fora e te entregar
amada minha...
uma taça do meu sangue
rosas e uma parte de mim...

Marisete Zanon 




                          Obra - As cócegas incomodam o estômago - Artista Carlos Saramago


as paixões tornam-se um jogo
perco-me nesse tempo lúdico
não conheço-me
esse estranhamento
de mim mesmo
atiça-me e brinco
de Quixote metade Diabo
atormento as paixões
e elas causam-me
cócegas no estômago
e por fim quero vomitar
e expurgar tudo isso
e tornar-me eu de novo


Marisete Zanon




                                                       Obra Gagging - Artista Carlos Saramago


sinto fome
do mundo
das cores
da comida
mesmo entalada
na garganta
sinto fome
de pêssegos
e tâmaras
fome de afetos
de paixões
que engrenam
minhas inspirações


Marisete Zanon




                                              Obra - Deixe-me apenas acabar - Artista Carlos Saramago


analiso o mundo
meus olhos vazados
encontram razões
e encontram-me num pedido
de atenção para mim mesmo
preciso ser notado
me vês?
Não sou comum
carrego planos coloridos
dentro da minha mente
o tempo urge em mim
não sei do amanhã
tanto faz
deixe-me apenas acabar
os meus sonhos surreais


 Marisete Zanon



                                           Obra - Xeque-Mate - Artista - Carlos Saramago



às vezes a vida é um tabuleiro de xadrez
quando percebemos estamos jogando
tratando algumas pessoas como peões
outras como torres e cavalos
esquecemos da idiossincrasia de cada um
e quando pensamos estar em xeque
somos impelidos com Xeque-mate
mas a vida na sua totalidade
ganha mesmo quem sabe viver


Marisete Zanon 



                                            Obra - Devaneio ao seio - Artista - Carlos Saramago


Belos são quando vejo

delícias como manjares

em minha boca

tecidos indecifráveis

são ao tocar em

meu corpo

como um louco

sofro

sorvo

tudo que posso

desse devaneio

louco por ti

óh! Belos seios...


Marisete Zanon 



                                                Obra - Don't stop - Artista - Carlos Saramago


pescava sonhos

na contramão

de uma estrada estreita

de um mundo escuro

mas pescava sonhos

e os realizava

na magia das cerdas

do pincel de um artista

que não pára nunca


Marisete Zanon




 
                                Obra - Moulin Rouge -  Artista - Carlos Saramago


há um ponto de equilíbrio
nos prazeres
mergulho de bico
nos sentidos
visão, tato
paladar, olfato
o sofrimento
é mera consequência
da casa de prazeres
de sentir o insensato
sentido do equilíbrio
proibido

Marisete Zanon



                                              Obra - Vórtice para onde tudo escorre - Artista Carlos Saramago


todos os meus pecados e escuridões
têm seu destino traçado
pedaços extirpados de lembranças
bagaços de ilusões e restos de temporais
um ciclone que draga e direciona
essa voz palpável dos sentidos contrários
oxalá eu vivesse na claridade da luz
onde tudo brilha e sorri pra mim
mas tudo vai pelo vórtice
onde tudo escorre



Marisete Zanon



                                  Obra - Crazy food - Artista - Carlos Saramago



 o cheiro dos prazeres
mais simples frustram-me
os sabores delicados
dos alimentos e temperos
não preenchem meu prato
só resta-me faca e garfo
e eu fico com esse gosto
de arame farpado na boca
e estômago vazio


Marisete Zanon 



                                            Metamorfoseando - Artista - Carlos Saramago




o farfalhar do toque na pele
espia a libido
torna o olhar lascivo
e as bocas predadoras
devoram a imagem metamorfa
do que é quase inconcebível


Marisete Zanon 



                                              Obra - Meta-fora - Artista - Carlos Saramago


Meus brinquedos foram quebrados
quem quebra meus sentimentos?
Meus olhos expressam minha alma
quem incomoda meu espírito?
Minhas mãos expressam meu íntimo
quem as impede de trabalhar?
Quem vai saber se quero ir ou ficar?
Sempre falo por metáforas...


Marisete Zanon



                                             Obra - Ser e não ser - Artista - Carlos Saramago



 nessa constante

dúvida

de quem sou

nuns dias

uso salto

noutros

faço amor



Marisete Zanon



                                                            Artista - Carlos Saramago



Crucificado

                              
pegaram-me para Cristo
já aviso que não há riso
ser crucificado sem razão


Marisete Zanon



                                            Obra - I Run - Artista - Carlos Saramago


Minha mão me diz pra parar
mas na ânsia de viver
quero correr, quero mais
não tenho tempo a perder
sou dois
o homem e o pintor
nada escapa ao meu olhar
mesmo que o mundo
vire de pernas pro ar
vou continuar a brincar
a pintar
e a correr na velocidade
do meu olhar...


Marisete Zanon 



                                     Obra - Introspecção da cura - Artista - Carlos Saramago



quando a dor é tão forte
a ponto de não suportar
olho pra dentro de mim
sondo, exploro
e imploro
do lado de fora
nada vai me afetar
aqui dentro
já tem dor demais
alguém me ouve
e então
posso respirar
aliviado
estou curado
de tudo
tudo


Marisete Zanon