segunda-feira, 20 de maio de 2013

Noite de novembro

                                     imagem do Google



Naquela noite de novembro

adormeci nos teus braços

eu que não tenho pelo sono amizade

não sei como, não lembro...

teu abraço suave

teu corpo um convite

para a meu sono, quem duvide

envolvida por teu calor

sussurros do meu amor

que por ti clamava e ouvia:

dorme meu anjo, ainda não é dia...

poesia do meu descanso

teu corpo é seda

e manso

teu corpo é o meu balanço

onde meu tempo é vida.


Marisete Zanon