quinta-feira, 16 de maio de 2013

Consciência


imagem do Google



o olho que acompanha
as cenas que vou gravando
na história da minha vida
não é bonito
é cheio de críticas, pragmático
censuras e culpas
entreguei no altar do juízo
todos os meus pensamentos,
meus poemas, minhas paixões,
meus vícios e crimes
aquele beijo que não foi
apenas um beijo
nele transferi toda a minha
bagagem e arquivos,
mas esse maldito olho
me segue, persegue,
pressente que eu vivo
de complexidades,
de viver na corda bamba,
de viver nesse tempo
que é só meu no meu terreno,
no meu universo abstrato
e surreal
esse olho que me vê
é minha consciência
que me cobra a todo instante
por tudo que faço, que idealizo
e não realizo...



Marisete Zanon