quarta-feira, 10 de abril de 2013

O combatente






Tu que hoje adormece
depois de longa e exausta batalha
desfruta o silêncio da mente apaziguada
descansa o corpo, este resto de pele e osso
antes músculos retesados e epiderme aflorada
e agora tens no corpo a chama toda apagada,
aliviada a guerra do teu corpo saciado,
busca agora o repouso nos vales que te
contemplam de aveludada atmosfera.
Entrega o general, as suas insígnias
e esquece as quimeras.
Bom combate foi tua vida,
peito bordado em medalhas.
Espera tua guarida guarnecida
de guirlandas para teres
a eterna e florida primavera
cobrindo a terra onde adormece.


Marisete Zanon

5 comentários:

  1. É o que deseja o corpo após anos de batalhas, com vitórias e derrotas, o repouso merecido. Lindo visse, bjinhos!!!
    => Gritos da alma
    => Meus contos
    => Só quadras

    ResponderExcluir
  2. Tantas batalhas travadas para levar ao descanso dos versos... mas, será mesmo descanso?
    Muito sentido, Marisete!
    Gostei.

    => Crazy 40 Blog
    => MeNiNoSeMJuIz®
    => Pense fora da caixa

    ResponderExcluir