sexta-feira, 19 de abril de 2013

O amor e o verdadeiro poeta

                          Gil Bruvel, paintings - ego-alterego.com


há quem diga que o amor é água com açúcar
é flor, é alimento que sustenta
o amor é dor
é navalha na carne de quem sente
e sufoca na garganta a esperança
é gemido de fera ferida
o amor é guerra na hora da partida
soldado sem general na batalha
o amor arranha o próprio afeto
o amor é bofetada sem espera
é um mendigo na sarjeta da saudade
com o peito rasgado a sangrar
com um olho no céu e o outro no inferno
não me diga que o amor é somente doce
o amor é pimenta dedo de moça
e cada um sabe o amor que sente
versinhos bobos não combinam
com o amor
deixe para os verdadeiros poetas
escreverem
o amor é poder de qualquer coisa
é pior que dor de dente
e qual poeta não sabe que fingimento
não faz poeta?
Só quem é poeta de verdade
se rasga porque conhece
o amor que sente pelas palavras
ao fazer poemas de amor
à beira da insanidade


Marisete Zanon