quinta-feira, 25 de abril de 2013

Escapando pelos dedos

                                          imagem do Google


porque estava tão inacabado

que se acabou logo

sem ter os tratos devidos

ter rompido a índole pueril

e eu só enxergava o que não existia

não era concreto

essas coisas são abstratas,

mas o invólucro é palpável

e a maneira como deixei

tudo escorrer pelas pontas dos dedos

desmanchando-se em uma poça

de líquidos arrefecidos

fez de mim um sarcófago vazio

sem nenhuma bandagem

que me envolva...




Marisete Zanon