domingo, 16 de dezembro de 2012

Uma pausa que aplauda

imagem da web





desliguei-me do mundo

sou órfã por opção

urge o desejo de reconhecer-me

o único som que ouço

e que inspira-me

é a batida ritmada

do tambor do meu

coração, bate e esguicha...

posso ser a fera que quer guerra

a Mariana bacana

a Sofia sacana

tudo vai de quem me atiça

tudo depende do que espero

necessito conhecer-me

não sei o tempo do bolero

só preciso ouvir a música

que o meu coração toca

por enquanto...

quando amor[teço].


Marisete Zanon

5 comentários:

  1. Esta forma de (des)falecer em versos é simplesmente magnífica, Marisete!
    Abraço!

    ResponderExcluir
  2. desligar-se do mundo só para ouvir a música
    porque o mundo é para viver da melhor maneira que quisermos.
    boa noite
    obrigada!
    beijo

    ResponderExcluir
  3. Olá Mari !
    Querida amiga, adorei sua poesia, muitas vezes afastar-se do nosso mundo, refletir é um momento especial.Bela escrita.

    Querida, lá no meu blog tem 2 cartões de Natal, caso vc queira pode pegar os dois.Eu fiquei afastada no Face e no Blog devido uma lesão que tive nos dedos,mt dor, não dava para digitar.

    Desejo-te um Natl cheio de energias positivas e que Deus ilumine seu caminhar com muitas alegrias e tudo de bom.

    Um super abraço, bjs no seu linco coração.Sempre com minha amizade e carinho por ti.Nati

    ResponderExcluir
  4. Marisete querida...

    Amor(teça)
    o tempo que for necessário
    porque, se em ti não amor(tecer)
    por ti, ninguém amor(tecerá)

    besOSMen@

    ResponderExcluir
  5. Muito lindo seu blog, suas palavras...

    Bjs.

    ResponderExcluir