sexta-feira, 30 de novembro de 2012

O meu silêncio




o meu silêncio é um silêncio

construído com esforço resignado

alicerce da solidão

paredes da quietude

acomodadas

plácidas

de um ínfimo suspiro


Marisete Zanon

8 comentários:

  1. O silência resignado é bem pior que o de livre vontade...
    Belo poema, ainda que demasiado silencioso... rsrs...
    Marisete, querida amiga, tem um bom resto de domingo e uma boa semana.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  2. Ao menos sabes de forma construístes o teu silêncio. Eu só sei os motivos.
    Bonito texto.
    Fica assim, desejo-te um lindo domingo.

    ResponderExcluir
  3. A contrução do silêncio é por vezes dolorosa, mas sempre bela quando transformada em versos.
    Perfeito, como sempre, Marisete!

    ResponderExcluir
  4. Lindo o teu espaço e trabalho. Parabéns!
    Belíssimas as palavras da postagem, eu sou uma amante do silêncio.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  5. Um silêncio que diz tanto...
    Gostei muito do seu espaço,
    tomei a liberdade de me instalar :)

    Um forte abraço
    Sónia

    ResponderExcluir
  6. oi Ma

    Fez outro blog?
    to seguindo.

    bjokas =)

    ResponderExcluir
  7. O meu silencio grita... as pessoas é que nao o ouvem...
    Obrigada pela visita...otimo domingo para vc...
    Beijos...

    ResponderExcluir
  8. Ah, minha querida Marisete, que saudades de você e dos teus lindos poemas! Obrigado pelos parabéns, fico feliz que tenha se lembrado de mim e me caçado pela blogosfera. Como vê não mudou muita coisa por lá: o mesmo cavaleiro errante a declarar suas mesmíssimas guerras vãs...
    Mas falando de você: que surpresa boa essa tua, hein! Fiquei feliz mesmo... Sabe, passei dias a fio tentando entender o porquê do sumiço repentino da senhora e seu Confissionarium. Mas agora tudo explicado: foi um mal necessário.

    - Meus parabéns, poetisa! Espero poder ter logo em mãos esse teu novíssimo - e, certamente, delicioso - livro!

    Um beijo.

    ResponderExcluir